quinta-feira, 8 de maio de 2014

Mais uma poesia noturna, de Pereira da Silva.

Reflexões

I

Que é nossa vida para a eternidade?
O átomo de um dia.
Dois instantes: - o da natividade
E o da última agonia.

II

Olhando essa extensão indefinida,
Este círculo ambiente,
Que espaço humano ocupa a nossa vida?
Sete palmos somente...

III

E, por tão pouco, por que prova rude
Passa o homem mais forte,
Para se libertar dessa inquietude
Pelas portas da morte!

(Pereira da Silva)

10 comentários:

  1. Bom Dia! Quando puder, visite meu blog. Lá eu posto minhas poesias, pode ser que você goste: http://aplausosparadownload.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. a vida é tão simples e tratamos de torna-la sempre complexa.
    ótima!

    ResponderExcluir
  3. ooi, quando puder, visite meu site, fala tbm de poesias http://poesiasmusi.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Profundo. Estou iniciando por aqui. Se tiver um tempinho visite-me.
    http://souzalanys.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Quem puder dar um pulinho e mua curtida la, bjocas
    http://jumouraa.blogspot.com.br/2015/06/maternidade.html

    ResponderExcluir
  6. Quem puder dar um pulinho e mua curtida la, bjocas
    http://jumouraa.blogspot.com.br/2015/06/maternidade.html

    ResponderExcluir
  7. Respostas
    1. cala boca essa poesia é linda

      Excluir
  8. Belo poema!

    Se tiver interesse em visitar meu blog, segue o link: https://poesiasdakah.wordpress.com/.

    Obrigada,

    Kátia

    ResponderExcluir